Muito ornamentais os abacateiros chegam aos 20 m de altura e criam uma boa area de sombra | Fotos: Valério Romahn

– Por Ana Luísa Vieira

A espécie é bonita, proporciona boa sombra e ainda presenteia quem a cultiva com frutos saborosos. Sim, a árvore em questão é o abacateiro (Persea americana), uma das frutíferas mais comuns em fazendas, sítios e chácaras. Ela chegou ao Brasil no século 19, a pedido de D. João VI, e se adaptou tão bem ao clima local que hoje cresce em abundância em todo o território nacional.

É fácil identificar os chamados avocados: eles são bem menores que os outros abacates. Foto: Shutterstock

Na História, porém, as menções à espécie começaram bem antes, na época em que os exploradores espanhóis descobriram a América e relataram o consumo da fruta pelos povos indígenas.

O ahuacatl – como o abacate era chamado pelos astecas – caiu no gosto dos europeus, que adaptaram o nome indígena ao idioma de cada país. Virou aguacate, em espanhol, avocado, em inglês, e abacate, em português.

O curioso é que em náhuatl – esta era a língua falada pelos astecas –, ahuacatl significa “testículo”, uma alusão ao formato do fruto. Isso levou as pessoas a associá-lo à fertilidade.

Lenda ou não, é certo que o abacate é rico em vitaminas antioxidantes e sais minerais, ajuda no combate ao colesterol e auxilia na hidratação da pele e do cabelo. Diante de tantos benefícios, fica difícil não se render ao sabor delicado desse fruto originário do México e da América Central.

A polpa cremosa e de sabor neutro torna possível o consumo do abacate em receitas doces e salgadas. Foto: Shutterstock

500 VARIEDADES DO MESMO FRUTO

O abacate é uma drupa – um fruto carnoso dotado de uma única semente. Sua polpa tem coloração creme-amarelada e é rica em óleos vegetais. O que pouca gente sabe é que existem mais de 500 variedades de abacate, diferentes em tamanho, oleosidade, brilho, coloração e textura da casca.

É justamente o número expressivo de exemplares que garante a versatilidade do fruto. No Brasil, tipos com pouca fibra – confira no quadro “Os diferentes abacates” as principais variedades comercializadas por aqui – fazem a fama de receitas com leite e açúcar. No exterior, os mais populares são os chamados avocados. Lígia Falanghe, gerente de marketing da Fazenda Jaguacy, explica a diferença: “O avocado é menor que os outros abacates e, por isso, armazena menos água”. Seu sabor neutro também possibilita o consumo puro ou como ingrediente em pratos salgados – o guacamole é um deles.

Com sal ou açúcar, uma coisa é certa: o abacate faz bem ao paladar e à saúde e ainda nasce de uma árvore ornamental e fácil de cultivar.

Com apenas 10 mm de diâmetro, as flores verde-esbranquiçadas se agrupam em inflorescências. Assim como os frutos, elas surgem em diferentes épocas do ano, conforme a variedade do abacate. Foto Shutterstock

OS DIFERENTES ABACATES

Existem mais de 500 variedades de abacate. Aqui, você confere seis das mais comuns no Brasil:

 

Ilustrações: Bertoldo Borges Filho / Centro de Qualidade em Horticultura CEAGESP


ABACATEIRO EM DETALHES

Nome científico: Persea americana
Nomes populares: abacateiro, abacate
Família: lauráceas
Origem: México e América Central
Características: árvore perenifólia e frutífera, de copa densa e bastante ramificada. As árvores originadas a partir de sementes chegam a até 20 m de altura. Os cultivares enxertados atingem 12 m
Flores: são verde-esbranquiçadas e pequenas – têm, no máximo, 10 mm de diâmetro
Frutos: drupas em formato de ovo ou pera. Eles são macios e carnudos, e têm polpa cremosa na cor creme-amarelada. As variedades apresentam diferenças em tamanho, peso, textura da casca e coloração. Cada árvore pode produzir de 200 kg a 800 kg ao ano
Solo: deve ser leve, descompactado, bem drenado e ácido, com pH entre 5,5 e 6,5
Luz: sol pleno
Clima: tropical, tolerante ao subtropical
Regas: de duas a três vezes por semana após o plantio. Após esse período as regas são dispensáveis
Plantio: Luis Bacher, viveirista da Dierberger Plantas, aconselha plantar o abacate em outubro, quando começa o período de chuvas no Brasil. As mudas ou sementes devem ser colocadas em berços de 50 cm de profundidade por 50 cm de diâmetro. Se for plantar mais de um exemplar na mesma área, deixe espaço de, pelo menos, 8 m entre eles
Adubação: aplique NPK 4-14-8 a cada três meses e esterco de curral bem curtido uma vez ao ano
Podas: nos primeiros anos de vida, pode-se podar o abacateiro para melhorar o aspecto da árvore e auxiliar na distribuição dos galhos (as chamadas podas de formação). Passada essa etapa, a árvore dispensa podas
Propagação: por sementes ou enxertia